[Resenha] Verity - Colleen Hoover!

Título: Verity

Autora: Colleen Hoover

Editora: Galera


Resenha: Narrado em primeira pessoa por Lowen, uma escritora que mesmo sendo extremamente discreta quanto aos holofotes, resolve aceitar uma proposta irrecusável do marido de Verity - uma Best-seller famosa -, para continuar escrevendo uma série de sucesso da sua mulher.

O motivo é que depois do acidente que deixou Verity inválida, ela parou de publicar os livros e então seu marido, Jeremy, teve a ideia de contratar uma escritora para finalizar a série. Cotada como a melhor pessoa para tal privilégio, Lowen, que está cheia de dívidas, sem emprego e sendo ameaçada de despejo, não consegue recusar a proposta que irá lhe tirar do sufoco financeiramente falando.

Para isso, ela é convidada por ele para passar uns dias em sua casa e ter acesso ao escritório de Verity e assim conhecer mais da autora, se familiarizar com as ideias dela acerca de tudo e para que possa ler os primeiros livros da série a fim de que, conhecendo melhor a história, possa dar uma melhor continuidade ao trabalho inacabado da sua esposa.

Assim, Lowen o faz! E mesmo super desconfortável com aquela situação e insegura quanto a aquilo realmente dar certo, ela aceita o desafio. Mas, o que ela encontra vai muito além do que ela imaginava. Revirando o escritório da mulher que perdia os últimos anos da sua vida em cima de uma cama, ela encontra um manuscrito que Verity conta sobre a sua relação com Jeremy desde o primeiro encontro, até o momento do seu acidente. E o que vamos presenciar a partir daí é uma série de fatos que nos mostra que Verity não é tão perfeita quanto todos pensam e que ela esconde, não só segredos, mas uma personalidade de dar medo.

Atordoada e sem saber se conta ou não para Jeremy que sua mulher não é quem ele pensa, ela descobre também que os dias atuais da própria Verity escondem segredos que podem colocar todos naquela casa em risco. O desenrolar é eletrizante e quanto mais a leitura avança, mas queremos saber o que realmente está por trás de tudo e como aquilo vai acabar.

O final foi de cair o queixo. Colleen trouxe o que ninguém esperava e ainda lançou duas hipóteses para um desfecho que quando achávamos que tudo fora desvendado, uma carta aparece e muda todo o conceito que tínhamos criado. Foi como se ela tivesse nos dado mais uma peça para um quebra-cabeça que aparentemente estava montado. E agora, como encaixar mais aquela nova peça? Pois bem, eu embaralhei tudo e montei o meu final!
Uma cartada de mestre? Claro! A autora usou diferentes "armas" para criar dois finais extremamente possíveis e que no final coube a nós, meros leitores, decidirmos de que lado estávamos!
.
.
.
A partir daqui vou deixar minha opinião e... CONTEM SPOILER!
Se você não leu o livro, sugiro que leia até o parágrafo acima!!

(...) bom, diante de um final onde a autora deixa duas hipóteses sobre a realidade da história, há quem tenha defendido a teoria do manuscrito e há quem tenha ficado do lado da teoria da carta! Eu faço parte do segundo time.
Por quê?

Bem, porque três situações ficaram permeando em minha cabeça, me levando a defender Verity e a veracidade da carta, são elas:

1. Acreditar no manuscrito seria subestimar a inteligência da própria autora e o poder dela de agregar surpresa à sua história, assim como também o poder que vai muito além de surpreender, mas de impactar! Se eu acreditasse na versão do manuscrito, em nada seria uma surpresa o desfecho do livro porque durante toda a trama, a autora pinta Verity como a pior pessoa do mundo, lemos o livro inteiro a odiando e desprezando suas atitudes e sua mente doentia. Qual a surpresa o final nos traria se o manuscrito fosse verdade? Apenas que Verity era mesmo tudo aquilo e fim! E não é essa sensação de desfecho que eu quero ter porque sei do potencial de Colleen e do quanto ela não queria que as coisas fossem tão óbvias. Então sim, eu prefiro acreditar na reviravolta e acreditar que a autora soube nos enganar, porque é em cima disso que o thriller funciona: além de envolver, brincar com o leitor e surpreender!

Sem falar que devemos estar sempre atento ao que está muito óbvio e ao que o autor está nos levando a acreditar, quem lê muito thriller sabe disso, muitos autores nos conduzem facilmente para o caminho que ELES querem que acreditemos e isso ficou bem claro aqui, o enredo nos levou a acreditar no pior lado de verity o tempo inteiro, então na minha cabeça acostumada a esse tipo de leitura (suspense/mistério), já estava aguardando a surpresa e reviravolta... E achar que Colleen nos presenteou com uma bela dose de impacto também contribui para minha defesa da versão da carta, haha

2. A incógnita chamada Jeremy! Fiquei com o pé atrás com esse personagem o livro inteiro e quando ele confessou que não foi a mulher que leu os livros de Lowen e sim ele, deixou bem claro que havia muito mais por trás do interesse dele na estadia de Lowen à casa deles. Na minha hipótese, Jeremy não era tão mocinho assim. E querem saber de mais?
Jeremy tinha o manuscrito nas mãos e com isso, tudo que ele precisava para fazer Verity pagar pelo que supostamente ele acreditava que ela havia feito. Com o manuscrito ele poderia usar o que ela mesma escreveu contra ela, então por que ele preferiu matá-la se poderia seguir por um caminho muito mais justo que seria colocá-la atrás das grades? Isso deixou bem claro a personalidade ruim do personagem. O manuscrito o colocava como vítima, ele tinha tudo nas mãos, por que escolheu o pior caminho? Na minha cabeça, porque ele sabia que ela poderia algum dia contar pessoalmente a polícia justamente tudo que estava na carta e todos saberiam que ele provocou o acidente dela, tornando indiferente e sem sentido a versão do manuscrito.

3. Acho que a capa já é um próprio spoiler e aquela cena reitera minha versão dos fatos kkkkkkkk. A cena faz parte da versão da carta e... paro por aqui pra não falar demais rs.

Resumindo, minha opinião é que Verity foi vítima da própria história!

Sou fã de Colleen assumidíssima e thriller é um gênero que eu amo. Então vocês podem imaginar o que eu senti unindo essas duas coisas num livro só. Gostei demais de Verity e gostaria de ver a autora em outros livros desse gênero, afinal ela nunca decepciona.


5 comentários:

  1. Oii, quero muito ler, mas ao mesmo tempo eu não consigo pegar o livro haha não sei o que fazer para finalmente começar a ler essa obra. Mas já adianto que sua resenha está maravilhosa, acho que por não me passar a impressão de ser um romance com drama, a vontade de ler fica dividida porque é escrito pela CoHo haha
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei do livro mas houveram algumas situações que me fizeram não favoritar...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Oiii Thay

    Só li até a parte sem spoiler da resenha mas gostei bastante, esse final cartada de mestre da Colleen empolga porque ás vezes o que mais vemos falhar em thrillers é justamente o final. Estou bem curiosa com esse livro, quero ler com certeza

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Oi
    li poucos livros da autora e gosto da escrita, quero ler esse por ser de suspense e ter a possibilidade de ver a autora em outro ambiente narrativo.
    Que bom que gostou da leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Também sou viciada em ler livros, amo ler livro nas viagens. rsrs

    Meu Blog: Trimania Resultado

    ResponderExcluir

Já que você chegou até aqui, que tal deixar-me um recadinho?
Sua opinião é muito importante ♥