[Resenha] Pistas Submersas - Maria Adolfsson!

Título: Pistas Submersas

Autor: Maria Adolfsson

Editora: Faro Editorial


Resenha: Pistas Submersas é o primeiro volume da série Doggerland, da escritora sueca Maria Adolfsson e em todos teremos Karen Eiken Hornby como protagonista e investigadora dos casos. 

Doggerland é uma ilha um tanto curiosa, localizada ao norte da Escandinávia e até então era um lugar de paz. Todo o cenário muda quando, numa manhã, Karen recebe a notícia de um assassinato e a vítima é, nada mais, nada menos que a ex-mulher do seu chefe, Jounas Smeed - o homem em que ela teve a infeliz ideia de se envolver na noite anterior durante o Festival da Ostra, festa tradicional da região.

E como nada é tão ruim assim que não possa piorar, Karen é a principal encarregada na investigação do caso, cujo principal suspeito é o ex marido da vítima e que por sua vez, tem a própria investigadora como seu álibi, pois eles estavam juntos. E agora? Como provar a inocência de Jounas sem contar do envolvimento de ambos?

Com isso, nossa investigadora começa uma busca desenfreada por respostas e quanto mais profundo adentra, mais dúvidas surgem e ela percebe que a ilha e a própria vítima possuem muito mais segredos do que se possa imaginar.

A narrativa intercala entre presente e passado, onde é possível conhecer mais da história da ilha e de seus habitantes em um gancho que liga segredos que vão desde 1970 até os dias atuais.

A investigação se desenrola de forma lenta, mas em nada isso prejudica a leitura, muito pelo contrário, foi uma delícia conhecer em uma preciosa descrição e riqueza de detalhes a ambientação da história e a construção dos personagens.

A protagonista é maravilhosa e eu não vejo a hora de conhecer os próximos volumes da série. Karen é uma mulher forte, determinada e além de tudo intuitiva, pois mesmo com muitos indo contra as suas teorias, ela não arredou o pé da linha em que realmente acreditava.

O desfecho foi um soco no estômago e embora construamos algumas teorias que se emaranham às descobertas da protagonista, ainda assim é difícil imaginar – de antemão - um final daqueles e isso foi um dos pontos fortes do livro: a surpresa!

Maria Adolfsson criou uma história instigante, sinistra e envolvente... num livro que nos deixa ansiando pelo desfecho.

Livro recomendadíssimo!


Título: A Revolução dos Bichos

Autor: George Orwell

Editora: Companhia das Letras

Resenha: Aqui acompanharemos a trajetória dos bichos da Granja Solar, comandada pelo Sr Jones, um homem de temperamento difícil, que não se importa tanto com o bem estar dos animais, os explora e até os deixa passando fome.


Cansados desse tratamento, todos os animais, sob a liderança dos porcos - mais especificadamente o porco chefe, chamado de Velho Major – decidem se rebelar e começar uma revolução para tomar o poder da granja e estabelecer um sistema socialista, prezando a igualdade de todos, constituindo um ambiente onde todos pudessem viver sob as mesmas condições e receber o retorno do trabalho igualmente. Para isso, o Velho Major os convence, com seu discurso bem elaborado, de que os humanos são ruins e que eles não precisam ser governados por ninguém que não seja eles mesmos.

Após o falecimento do Major, os porcos continuam assumindo a liderança e uma batalha é declarada, tendo de início a expulsão do Sr. Jones da granja. Tudo parece estar indo naturalmente bem e dentro dos conformes, até que os porcos transformam os planos em uma ditadura opressora. O que era para ter sido um regime igualitário começa – disfarçadamente – mostrar uma faceta mais sombria, onde um manda e o resto é obrigado a obedecer e sem sequer perceber que suas opiniões não estão sendo levadas em consideração. E é assim a ditadura... silenciosa.

Os animais vão sendo encurralados pelas ideias do líder, que com o discurso de igualdade, torna tudo “igual”, mas ao seu modo, manipulando os demais a seguir sua linha de raciocínio e as suas ordens cada vez mais intensas e grotescas. E os animais chegam ao ponto de não saber mais se está bom agora, ou se estava melhor como era antes, deixando o futuro da granja totalmente incerto.

Assim, a história se desenvolve basicamente em cima dessas questões e de exaltar as características de vários personagens que contribuem e muito para que entendamos a analogia que há por trás de cada um deles que representam tão bem os arquétipos da antiga (ou nem tanto, né?) sociedade. Posso citar dois que, para mim, tiveram grande destaque: Napoleão, que era nitidamente a representação autoritária de Stalin. E ironicamente, Benjamin, o burro, que parece ser o único que enxerga além do seu umbigo e nota o que está acontecendo, mas não tem coragem de enfrentar ninguém, mostrando o quanto muita gente se comporta de forma passiva à diversas situações, se tornando – inevitavelmente - cúmplice e/ou conivente.

Livro curto, de linguagem simples e que em poucas páginas te obrigada a pensar e te faz refletir. Aponta com genialidade questões reais e de grande importância a nível social. Além de trazer mensagens claras sobre ganância, corrupção e disputa de poder, que são questões tão presentes quando o assunto é viver em sociedade.

Apontado – merecidamente – como um dos grandes clássicos da literatura, o livro traz uma crítica real sobre o regime socialista, tão bem representada pelos animais da granja. Além de nos mostrar com bastante nitidez uma analogia à política da época e o quanto o poder e corrupção podem caminhar lado a lado.

No mais... Leitura obrigatória.

.

[Diversos] 6 motivos para ler os livros de Charlie Donlea!

Hi everybody!

Você certamente já leu ou ouviu falar dos livros de Charlie Donlea, que publicados pela Faro Editorial, tem ganhado considerável destaque no Brasil. A garota do lago, seu primeiro livro, levou o autor ao topo dos mais vendidos pela Editora, desde 2017.

Sobre o autor:
Charlie Donlea vive em Chicago com sua esposa e dois filhos. Um de seus hobbies é pescar em lugares praticamente desertos do Canadá. Essas viagens por estradas paradisíacas inspiraram o cenário para o seu livro de estreia. Ávido leitor, é também apaixonado. Quando decidiu escrever seu primeiro livro, ele se preparou para produzir algo como tudo o que gosta de encontrar nos seus filmes e livros prediletos: uma história capaz de deixar o leitor refletindo sobre ela por muito tempo.

Obras já publicadas:
A garota do lago;
Deixada para trás;
Não confie em ninguém;
Uma mulher na escuridão.


Diante de toda essa febre e de todos os pontos positivos que sua escrita nos proporciona, resolvi convencer você a experimentar o prazer que é ler suas obras e para tanto, listei 6 motivos - dignos - para você virar fã junto comigo.
Vamos lá?

1. Personagens marcantes e bem construídos:
A construção dos personagens é um dos pontos mais fortes nos livros do autor. Charlie nos apresenta personagens originais e com personalidades altamente distintas. Protagonistas longe dos clichês que costumamos ver e vilões dificilmente identificáveis. Ele transforma todo o desenrolar dos personagens numa incógnita que você dificilmente chegará ao desfecho sem que o autor ache que é o momento.

2. Mistério e investigação em nível frenético e viciante:
Charlie em nada fica atrás dos grandes nomes do suspense/thriller. Mestre em mexer com todos os nossos sentidos, o autor insere em suas tramas todos os principais ingredientes para fisgar o leitor, com mistérios que vão se revelando aos poucos, mas sem tornar a experiência de leitura cansativa em nenhum momento. A narrativa é repleta de ação e conforme a investigação avança, menos você imagina como aquilo tudo vai terminar. De escrita viciante e que te faz criar inúmeras teorias, se torna o carro-chefe pra te fazer devorar o livro em poucos dias e ainda ficar com gostinho de quero mais.

3. Narrativa intercalada:
Charlie é extremamente ousado e narrar a história pela perspectiva de vários personagens é um elemento quase sempre presente em seus livros. Acho essa uma cartada inteligentíssima do autor, uma vez que, aguça ainda mais a curiosidade do leitor, principalmente porque, para completar, os finais dos capítulos deixam um gancho espetacular para o próximo e tudo o que você quer é chegar o mais rápido possível no próximo capítulo daquele personagem.

4. Reviravoltas e efeito surpresa:
Os livros de Charlie são um verdadeiro quebra-cabeça e como se não bastasse, é recheado de descobertas com revelações avassaladoras e finais surpreendentes. Pode ter certeza que em algum momento alguma descoberta irá te impactar e bagunçar todas as suas teorias já plantadas. É genial, sempre aplaudo de pé!

5. Conhecimento claro e coerente sobre o tema abordado:
Esse é um ponto que sempre destaco em minhas resenhas. Tenho muito, mas muito apreço por pessoas inteligentes e Charlie mostra que inteligência ele tem de sobra. É notável o quanto ele se empenha em oferecer o melhor sobre o que ele escolhe escrever. Em todos os seus livros há sempre uma temática e que ele faz questão de nos trazer todo um aparato sobre ela, fica muito claro o quanto ele se prepara para falar com propriedade de assuntos que possivelmente nem fazem parte da sua rotina. É esplendoroso!

6. Edições maravilhosas e autor atencioso com os fãs:
A Faro se supera a cada novo livro lançado. Quando você acha que eles já atingiram o ponto máximo da perfeição, surgem eles com novas surpresas. A forma como os capítulos são dispostos, assim como as cores e afins, são de uma genialidade incrível. As capas se combinam e os livros ficam lindos na estante.
Outro ponto importante é que vale muito a pena você ser um apreciador das obras desse autor, porque além dele nos presentear com livros incríveis, Charlie já é maravilhoso por si só. É muito gratificante você criar um apreço por alguém que te oferece um retorno. Caloroso nas redes sociais (e pessoalmente também!), é nítido o quanto ele valoriza quem gosta do seu trabalho.

E aí, gostaram?
Te convenci? haha
Se você leu algum livro desse - aclamadíssimo - autor, conta aqui como foi sua experiência ♥

Beijinhos *;
Até a próxima!

[Resenha] Invisível - Tarryn Fisher!

Título: Invisível

Autora: Tarryn Fisher

Editora: Faro Editorial

Resenha: Em “Invisível” conhecemos Margô, uma garota com uma bagagem problemática. Margô viveu por muito tempo vítima da insanidade da própria mãe, que depois de um tempo se entregou aos fracassos e a uma vida de ódio, de descaso, tornou-se uma viciada em remédios, começou a se prostituir, não saia mais de casa e ainda obrigava a menina a fazer tudo para ela - como se fosse uma escrava. Só para completar a lista, ainda desatou totalmente todos os laços afetivos com a filha – se é que em algum momento teve algum – se comportando como duas desconhecidas dentro da mesma casa.


Elas vivem em um bairro extremamente pobre e entregue às drogas. Um verdadeiro amontanhado de precariedade, vícios, descaso, perdição, erros, prostituição e muito sofrimento. Margô ainda precisa conviver com seus complexos de inferioridade, vive se sentindo incapaz de tudo e se condena o tempo inteiro por ser gorda e feia. Diante disso ela cresce vendo seus sonhos serem esvaídos como pó, numa casa em que nunca pôde chamar de lar e num bairro que é o reflexo do vazio.

Mas quando tudo parece perdido, ela começa a criar um laço com Judah, um cadeirante que mora perto da sua casa e a quem ela sempre observou de longe. E conforme mais eles conversam e se conhecem, a garota invisível dos sonhos perdidos vai conseguindo encontrar forças para resistir às injúrias do mundo.

Tudo se transforma quando num dia qualquer, surge a notícia do desaparecimento de uma garotinha de 7 anos, que ela tinha pouco contato, mas muito apreço. E é aí que a vida da nossa protagonista ganha uma adrenalina a mais. Cansada de esperar a polícia desvendar o caso e tendo a ajuda de Judah, eles resolvem investigar por conta própria.

E o que acontece a seguir é um conjunto de imensas loucuras e novidades que nem ela esperaria dela mesma. Cansada de tantas injustiças e de esperar que as coisas acontecessem, ela começa a resolver as situações a seu modo e a sensação que isso lhe traz é tão satisfatória e a faz se sentir tão justa que a garota entra em um caminho sem volta. Um caminho que a faz se questionar se ela é a mesma de antes ou se algum dia voltará a ser.

Margô segue com a ideia fixa de que mais ninguém irá sofrer enquanto ela estiver por perto e ninguém mais irá passar pelas coisas que ela passou. Isso também nos mostra o quanto ela cresceu quebrada por dentro e desejava fielmente que nenhum inocente se sentisse igual, resultando em perseguições obsessivas e desejos desenfreados de justiças - nem que pra isso precisasse ser pelas suas próprias mãos.

No entanto, o que isso lhe rendeu foi, além de uma nova personalidade, alguns apuros e momentos de quase morte, num livro profundo e que vai te deixar boquiaberto.

Eu admiro muito Tarryn, acho-a uma autora ousada e que não mede esforços em surpreender. Suas personagens são sempre cheias de facetas e todas essas nuances nos levam a explorar suas mentes de forma a conseguirmos entender até suas loucuras. Acho genial a forma e a facilidade que ela tem de nos fazer adentrar nos mais diversos cenários e vasculhar as mais diversas mentes com a mesma facilidade em que ela sabe explorar a mente humana e nos apresentar perfis que evidenciam a complexidade que é isso tudo e que chegamos a desacreditar que de fato possa existir - mexendo com nossos princípios e convicções ao ponto de nos tirar da zona de conforto.

Uma história impactante e visceral que nos mostra o lado sombrio de uma protagonista que nos revela a obscuridade da mente humana. Tarryn sabe dominar assuntos trágicos, intensos e que exploram e desafiam a insanidade humana de forma plausível.

Livro recomendadíssimo.


[Resenha] Uma casa no fundo de um lago - Josh Malerman!

Título: Uma casa no fundo de um lago

Autor: Josh Malerman

Editora: Intrínseca


Resenha: Narrado em terceira pessoa, o livro começa com um convite inusitado... Apaixonado por Amélia, James quer impressioná-la e no primeiro convite para sair, resolve convidá-la para algo diferente: passear de canoa em um lago! E para sua surpresa, ela aceita. E com a canoa emprestada do tio de James, o casal parte para o que seria o começo de uma grande aventura.

O lago é maravilhoso e o casal de apenas 17 anos se vê deslumbrando tudo. Até que percebem que o lago dá para um segundo lago, até então pouco visitado e tudo lá é tão majestoso quanto. Mas não acaba por aí, movidos pelo olhar curioso que inspeciona todo o local, acabam vendo um túnel, que não satisfeitos em inspecionar de longe, resolvem entrar para saber onde ele vai dar. E é lá que está: o terceiro e misterioso e principal lago da história.

Esse terceiro também é deserto, mas algo logo chama-lhes atenção: ele esconde algo fantástico, uma casa de dois andares. Sim, isso mesmo! Há uma casa totalmente submersa no terceiro lago e movidos pela curiosidade, um por vez, resolve mergulhar e explorar aquela preciosidade. E é então que descobrem que tudo que há lá embaixo é ainda mais sinistro do que a própria presença de uma casa no fundo de um lago em si. Dentro da casa, eles percebem que ela está toda mobiliada e tudo lá dentro parece desafiar a lógica que conhecemos, objetos que deveriam estar flutuando debaixo d’água estão dispostos em cima da mesa, livros que deveriam estar molhados, estão lindamente enfileirado nas estantes... e esses são só dois exemplos dos mistérios que a casa esconde.

O desenrolar não foge muito disso. Como é um livro curto, o que vamos ver é - de antemão - um por vez descer e explorar a casa, até que decidam descer mais bem equipados e descer os dois juntos. E lá embaixo descobrem além de muitas surpresas sobre a casa, a magia que é o primeiro amor e as primeiras vezes.

O final, como já é típico do autor, fica em aberto. Gosto das histórias de Josh porque fogem dos clichês, tanto o desenrolar, quanto os finais, embora esse aqui não tenha me envolvido tanto como Caixa de Pássaros. Foi uma narrativa forte que mesmo que bem descrita e elaborada, pouco convenceu e o horror psicológico - ingrediente clássico do autor - ficou em segundo plano... numa história mais próxima da fantasia que do suspense.

No mais, um bom livro para que quem quer ler algo bem rapidinho e explorar a imaginação. Esse ponto sim foi plausível.


[Resenha] Sem Saída - Taylor Adams!

Título: Sem Saída

Autor: Taylor Adams

Editora: Faro editorial


Resenha: Taylor nos apresenta Darby Thorne, uma jovem universitária que teve seus planos de Natal tristemente modificados quando fica sabendo repentinamente que sua mãe está com uma doença em fase terminal e prestes a ser submetida a uma cirurgia de urgência. Sem pensar duas vezes ela pega seu carro e parte às pressas para o hospital onde a mãe está - temendo que não a encontre mais com vida.

Como se já não fosse problema demais, ela teve que se deparar com uma nevasca que conforme avançava pela estrada coberta de gelo, tudo parecia piorar. Para completar, tudo parecia ter resolvido dar errado ao mesmo tempo: ela nota o celular com pouca bateria, sem sinal e o limpador do para-brisa quebra mais adiante.

Sem ter saída diante daquela nevasca, ela é obrigada a parar num Centro de Informações Turísticas onde lá dentro já se encontrava mais quatro pessoas, todas – aparentemente – ali presas pelo mesmo motivo que ela. São Ashley, Lars e os primos Ed e Sandi, que ficam sabendo por um rádio que ficarão presos ali por mais 8 ou 10 horas até que cheguem os limpa-neves.

Na tentativa de achar um sinal de celular, ela vai para o lado de fora e a cena que – sem querer – ela visualiza, mudará todo o curso da sua noite. Há uma criança presa e amordaçada dentro de um canil portátil, num furgão cinza e que, com toda certeza, pertence a algum dos desconhecidos que se encontram dentro do local.

Agora ela não consegue fechar os olhos para o que viu e fingir que nada está acontecendo e disposta a ajudar a garota, ela volta para dentro do local para tentar descobrir quem é o dono do veículo e buscar pelo menos um aliado. Para isso ela precisa de toda calma e inteligência do mundo, pois um passo mal dado, pode colocar tudo a perder, qualquer deslize pode ser o fim.

O desenrolar é eletrizante, Derby descobre com cada novo passo que dá, na busca do resgate da criança, que não se trata mais de somente libertar a garota, mas salvar a sua própria vida também.

De enredo extremamente interessante, curioso e de desenrolar eletrizante, todo o livro se resume a uma única noite, mais precisamente, a alguma horas e daí já podemos notar o quanto a trama rende muita aflição e surpresas. A narrativa é espetacular, tudo bem descrito e na íntegra, o que contribuiu para nos passar tudo de forma a parecer assustadoramente real!

Um suspense de – literalmente – tirar o fôlego. Em vários momentos me vi em choque. O autor descreve tudo tão bem que facilmente você consegue visualizar cada cena e sentir todo o terror psicológico por trás delas. De ritmo frenético, Sem Saída é um livro que nos apresenta os principais elementos que um bom suspense precisa para fisgar o leitor. E que fisgada! O ritmo da leitura se torna tão voraz na mesma medida em que tudo vai ferozmente acontecendo e em momento algum isso é perdido. Esplêndido!

Mais que recomendado!