[Resenha] A Devolvida - Donatella Di Pietrantonio!

Título: A Devolvida

Autora: Donatella Di Pietrantonio

Editora: Faro Editorial

ResenhaÉ 1975 e nossa protagonista é uma criança de apenas 13 anos. Narrado em primeira pessoa e sem conhecer seu nome, vamos nos familiarizando com a história da menina que, sem explicação alguma, um certo dia, é devolvida para os seus pais biológicos depois de ter sido por tanto tempo criada, sob ótimas condições, por parentes da família - os quais ela sempre achou que fossem seus verdadeiros pais.


Na casa dos seus pais adotivos a menina tinha - além de uma vida linda e confortável perto da praia e com todas as regalias que uma criança pode ter - amor, atenção, educação de qualidade, lazer. Mas tudo isso se transforma em outro cenário, de repente, quando se vê sendo devolvida – sem sequer poder se despedir daqueles em que sempre acreditou ser sua verdadeira família - aos seus pais biológicos e sem ao menos entender o que estaria motivando tudo aquilo e de forma tão brusca. A pobre criança que em um dia tinha tudo, no outro passou a não ter nada, num lar que faltava - literalmente - tudo.
No seu novo lar, ela conhece de perto a pobreza extrema, num ambiente precário, de família numerosa e onde todos pareciam desprovidos de afeto. Nitidamente vemos como o sofrimento e a luta os tornou insensíveis diante de tudo, numa família onde não existia diálogo, trocas e sequer uma relação de irmãos, tampouco de pais e filhos. A única que, logo de início, mostra que se importa com a recém-chegada é a sua irmã, Adriana.

Diante de tudo isso, ela não se sente em casa, não se sente parte daquela família e ninguém parece se importar muito em tentar fazê-la se sentir inserida. A única coisa que a fazia ter forças para encarar a nova situação era a esperança acesa de que seus pais voltariam para lhe buscar, uma vez que ela presenciou alguns momentos indispostos da sua mãe adotiva e deduziu que ela estivesse doente e provavelmente não queria lhe preocupar. Então ela sobrevivia naquele lar em que se sentia como uma intrusa pensando que quando sua mãe melhorasse, ela voltaria para sua casa.

No desenrolar da história vamos vendo o peso que tudo aquilo causa à protagonista que em todo lugar que vai é conhecida como “A devolvida” e devido a isso, como se já não fosse o bastante, ainda passa a sofrer bullying na escola. Decepcionada, incrédula e confusa, ela se vê sendo obrigada a crescer para além da idade que tinha e com toda rejeição, ordem e ausência de vínculo, naquela dura realidade.

Dentro do que é possível, ela vai tentando se adaptar... e com a ajuda da irmã, vai encontrando, mesmo com todo sufoco, se encaixar naquela nova condição e conquistar um espaço no seu novo lar. Mesmo sem aceitar ou até mesmo entender aquela reviravolta, ela não deixa de lembrar e sentir saudade da sua antiga vida e é nítido o quanto seu coração não sossega e vive destroçado dia após dia.

Chegando pertinho do final do livro conhecemos o que motivou tudo aquilo e seu coração é despedaçado ainda mais. Vemos o quanto foi injusto, cruel e insensível tudo que aconteceu e a situação a qual foi submetida, aliada ao fardo que ela vai ter que carregar pro resto da vida, numa realidade triste e egoísta.

Também podemos ver o quanto a vida é uma caixinha de surpresas e mesmo não sendo sempre surpresas tão boas, traz lições valiosas. Encontrar sentido na vida em meio à dor foi uma característica muito forte da personagem que mesmo nos apresentando uma história difícil de digerir, estava carregada de esperança e de sentimentos, num livro de carga emocional extremamente intensa.

Esse foi o meu primeiro contato com a escrita da autora e me agradou totalmente. Escrita fluída e emocionante. A narrativa é empolgante, desenrolada e mesmo sendo atribuída a uma realidade dura de encarar, é inspiradora.

A Devolvida é um livro que tem muito a nos ensinar sobre força, amadurecimento, busca de identidade. Não ficamos sabendo muito sobre o que aconteceu depois daquilo tudo, mas a proposta do livro é resumida a nos apresentar o impacto que surgiu na vida da personagem ao ser devolvida para seus pais biológicos e a adaptação na nova casa... E isso a autora cumpriu com maestria e em nada decepciona! O final foi extremamente plausível, Adriana foi uma personagem que merece total destaque por toda sua desenvoltura com tão pouca idade e por tudo que agregou na vida da nossa protagonista e não esperava menos de um final em que a autora aproveitou bastante disso e valorizou a personagem, numa cena – de total irmandade - que não vai sair da minha cabeça nunca mais.

Recomendadíssimo!

5 comentários:

  1. Oi, Thay!
    Já vi muito desse livro pelo instagram, amei a premissa!
    Sua resenha me deixou mais empolgada, agora já quero ler.
    E que capa maravilhosa. A propósito, amei sua foto.

    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Thay.
    Eu fiquei bastante curiosa com esse livro desde o lançamento. Mas preferi aguardar as resenhas para saber mais sobre ele. E sua resenha me convenceu. Assim que der vou ler ele. A foto ficou ótima hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oiiii Thay

    Uau adorei saber que a narrativa envolve e inspira apesar de sua premissa dura. Eu quero muito ler esse livro.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. I like your blog, its really dope.

    Do you want to follow each other?

    If you want, than follow me, and let me know in comments, so I can follow you back with pleasure.

    We can follow each other on Instagram @dujovicandjela, let me know in the comments so I can follow you back.



    https://bekleveer.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Thay!
    Adorei a foto, hahah
    Nunca tinha ouvido falar na autora, mas fiquei curiosa com esse lanamento da Faro!
    Acho que ele não vai muito pro lado do thriller né, é mais emocionante ao que me parece...
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir

Já que você chegou até aqui, que tal deixar-me um recadinho?
Sua opinião é muito importante ♥