[Resenha] Poemas Escolhidos - Emily Dickinson!

Título: Poemas Escolhidos

Autora: Emily Dickinson

Editora: Coleções Folha (Folha de São Paulo)


Resenha: Poemas Escolhidos faz parte da Coleção ‘Folha – Mulheres na Literatura’, composta de 30 livros que viraram clássicos e que, escritos por grandes autoras, revelam o olhar feminino no melhor da literatura mundial, afinal, "Por trás de grandes histórias, há mulheres maiores ainda".
O livro conta com cerca de 100 poemas, todos breves e leves, refletindo a respeito de pequenas e grandes coisas do dia a dia, nos permitindo uma jornada pela mente humana que tão facilmente nos leva a visualizar as impressões, ideias e pensamentos da autora.

Emily foi muito sagaz, é inegável seu pensamento crítico, sua afinidade com a escrita e sua sutileza com os pequenos detalhes da vida. É possível ver sentimento, ver plenitude e mesmo reconhecendo tamanha densidade poética, fiquei esperando uma maior sensibilidade. Não sou muito adepta aos poemas, talvez esse tenha sido o motivo de ter feito a leitura com um olhar mais exigente. Em suma, achei muito mais interessante a história da autora, do que seus escritos - que não me tocaram como eu esperava. Mas para os amantes de uma boa poesia, eu recomendo muito, é incontestável o talento da autora.

Gostei tanto da sua história, que resolvi trazer pra vocês, vale a pena ler.

Sobre a obra:
Em maio de 1886, após a morte de Emily Dickinson, sua irmã Lavínia encontra alguns cadernos, feitos de papel de carta, entre os pertences deixados pela poeta. Ali se achava a quase totalidade de sua obra, composta de 1.775 poemas, escritos entre 1850 e o ano de sua morte. Parte desse material achava-se organizado por Emily e a partir dele, foi possível estabelecer uma cronologia aproximada de sua criação.
Emily transitou por todos os grandes temas do gênero poético. Por isso, seus primeiros editores agruparam os poemas em blocos que receberam títulos definidores: “Vida”, “Amor”, “Natureza” e “Tempo e Eternidade”.
Embora nunca tenha sido publicada em vida, a não ser em colunas literárias de jornais e mesmo assim, rarissimamente, a entusiástica recepção à primeira antologia (1890) levou seus editores a lançarem duas novas edições, em 1891 e em 1896.
Fonte: Folha de S. Paulo.

Sobre a autora:
Emily passava suas tardes lendo, caminhando pelas colinas com seu cão ou na casa de algum de seus amigos e isso era tudo. Sua família era puritana, tendo sido ela criada segundo a doutrina do congregacionalismo Trinitário. Apesar de religiosa, nunca entrou para a Igreja.
Se tornou leitora apaixonada pelas obras de escritoras como Charlotte Brontë, da qual conhecera e se tornara entusiasta da obra Jane Eyre. Entre os clássicos, sua tinha particular apreço por Shakespeare.
Emily formou-se em 1847 na Academia de Amherst, e neste período trabalhava já como governanta em casas de famílias da cidade, uma das poucas profissões permitidas para as mulheres da época.
Durante estes anos, o que é significativo em sua biografia é a morte do acadêmico Leonard Humphrey, íntimo de Emily que aprofundou ainda mais a obsessão da garota pela morte, e a amizade como Susan Gilbert, sua maior confidente e a quem Emily enviou mais de trezentas cartas ao longo da vida. Muito mais tarde, depois da morte da escritora, a filha de Susan seria responsável por publicar uma coleção importante de poemas inéditos de Emily Dickinson, todos inclusos nestas correspondências.
Pouco se sabe sobre quando Emily teria começado a escrever poesia. Também muito poucos poemas de sua juventude sobreviveram à posteridade. O ano de 1958 foi, porém, um momento decisivo em sua vida, pois foi quando ela passou a organizar seu arquivo pessoal de poemas. Emily começou a fazer cópias manuais dos escritos e a unir as folhas costurando-as com linha, formando pequenos pacotes encadernados que ela então arquivava em um grande baú de madeira.
Fonte: https://literaturanorteamericana2012fe.wordpress.com/2012/11/15/52/


Um dos poemas:
"Moro na possibilidade,
Com muito mais janelas
E bem melhor, pelas portas

De aposentos inacessíveis,
Como são, para o olhar, os cedros,
E tendo por forro perene
Os telhados do céu.

Visitantes, só os melhores;
Por ocupação, só isto:
Abrir amplamente minhas mãos estreitas
Para agarrar o paraíso.


11 comentários:

  1. Oi, Thay. Infelizmente se tem uma coisa que eu não gosto são poemas, eu fujo deles como diabo foge da cruz. Mas fico muito contente em ver o empoderamento dessas mulheres nas obras, isso é importante para nós e nossa sociedade que ainda é tão machista.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Thay! Faz tanto tempo que não leio poemas, acho que é uma boa oportunidade de voltar ao gênero! E essa coleção da folha parece ótima!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Olá Thay, não conhecia o livro nem a autora, gostei demais de conhecer, sabe, assim como você não sou muito fã de poemas, mas sinto que esse livro merece um chance! Parabéns pela resenha!
    Amei conhecer seu blog, estou seguindo!
    Beijos <3
    https://estanteclassica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Thay.
    Infelizmente esse é um livro que eu não leria. Não sou muito fã de poemas e poesias, Prefiro ler histórias mesmo hehe. Eu até lia quando era adolescente e li todos os livros que tinha na biblioteca da minha história e li por falta de opção mesmo hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi, Thay!
    Eu não sou uma pessoa de poemas, então a leitura não iria funcionar pra mim, mas vou indicar para algumas pessoas que curtem
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Oi Thay,
    Eu preciso ler algo da autora. Mesmo não sendo fã de poemas, acho que seria válido por ser clássico.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi! Gosto muito de poemas e gostei do fato de ser pela visão de uma mulher. Bjos <3

    Click Literário

    ResponderExcluir
  8. Oii! Tudo bem contigo?
    Menina eu amo poemas, já quero esse livro pra mim, gosto muito de decorar eles.
    Beijos ❤

    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  9. Que livro mais singelo! Amei, parece uma leitura tão leve e delicada! Sua resenha ficou bem sucinta, mas nos fez ver bem o livro, gostei bastante.

    http://www.leitorasvorazes.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oie, tudo bem?
    Ainda não conhecia, valeu pela dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Amando seu blog, muito lindo! A resenha está ótima, não conhecia o livro. Uma ótima dica de leitura! Bjss

    www.historiasdaiza.blogspot.com

    ResponderExcluir

Já que você chegou até aqui, que tal deixar-me um recadinho?
Sua opinião é muito importante ♥